Buzinaço de motoristas marca o fim dos pedágios no Paraná

Buzinaço de motoristas marca o fim dos pedágios no Paraná

Um buzinaço espontâneo de motoristas marcou o fim da cobrança da tarifa de pedágio nas estradas do Paraná ocorrido à 0h00 deste domingo (28).

Cerca de 15 minutos para a abertura das cancelas, boa parte dos veículos pararam para esperar a liberação. Quando, finalmente, a passagem foi liberada, os condutores festejaram com buzinaço.

A transição foi acompanhada pela força-tarefa integrada estruturada pelos governos Estadual e Federal. O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem, Fernando Furiatti, compareceu na praça da Ecovia na BR-277, sentido Litoral. Além de servidores do DER, participaram profissionais da Polícia Rodoviária Federal, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), Polícia Civil e Polícia Militar.

“Um dos grandes beneficiados será o caminhoneiro autônomo. Quando ele volta vazio do destino, é dele o pedágio. Então vai sentir muito forte no bolso a sobra desse dinheiro”, explica João Arthur Mohr, gerente de Assuntos Estratégicos da Fiep.

“Por exemplo, o transporte de uma carga de 30 toneladas de frango de Cascavel, no oeste, a Curitiba gerava custo aproximado de R$ 1 mil em pedágio. Se o caminhoneiro voltava vazio, mesmo com os eixos erguidos, gastaria em torno de R$ 600 em pedágio.” completou.

A partir do dia 28, Paraná não terá mais cobrança de pedágio em suas rodovias

Até então, 2.505,2 quilômetros de rodovias federais e estaduais compõem o Anel de Integração e eram administradas pelas concessionárias Econorte, Viapar e Ecocataratas.

Esses contratos foram firmados em 1997, durante a gestão do então governador Jaime Lerner. Ao longo dos anos, as três concessionárias se envolveram em diversos casos de corrupção.

Diante disso, o Governo do Paraná decidiu adiar os novos leilões de concessões e administrar, por pelo menos um ano, o Anel de Integração.

O governo estadual afirma que está preparando para manter essas rodovias por até dois anos, caso isso seja necessário. Em setembro, o DER (Departamento de Estradas e Rodagem) do estado lançou um edital para contratar serviços de conservação do “anel de integração”.

A licitação prevê gastos de até R$ 135 milhões com serviços durante até 730 dias.

Além disso, na última quinta-feira (18), o DER também lançou o edital de licitação para contratar uma empresa que irá fazer os serviços de guinchos pelo período de um ano.

Por enquanto, o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), prestarão socorro médico aos usuários das rodovias.