Mercado de caminhões brasileiros ainda espera pelo Hyundai Xcient P440

As expectativas em relação ao lançamento da linha pesada Hyundai Xcient no Brasil, continuam altas.

Em 2019, o grupo brasileiro CAOA, responsável pela fabricação do Hyundai HR em Anápolis (GO), quase adquiriu a fábrica de Ford na região do ABC paulista, onde pretendia fabricar o Xcient P440.

No início de 2020, foi anunciado que o Grupo CAOA havia desistido do negócio, já que dependia de um financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o mesmo foi negado.

Com isso, o sonho dos caminhoneiros e proprietários de transportadoras em implementar mais um veículo da Hyundai em suas frotas foi adiado. Atualmente, no transporte de cargas brasileiro, a marca oferece apenas o Hyundai HR.

Sucesso do HR

Desde que chegou ao Brasil, em meados de 2007, o Hyundai HR se destaca entre os caminhões leves, sendo por mais de 10 anos consecutivos, o veículo mais vendido de sua categoria.

Apesar do receio do mercado brasileiro em adquirir utilitários de origem asiática, causado por experiências ruins com as marcas Effa, Chana, Shineray e Sinotruck, o Hyundai HR chegou aos poucos e logo mostrou seu potencial.

Com motor turbo diesel 2.5, 130 cv e 26 kgfm, transmissão manual de seis marchas e capacidade de carga total de 1.800 kg e peso bruto total (PBT) de 3.400 kg, o HR se adequou perfeitamente para o transporte de cargas dentro e fora das cidades.

Xcient nos países vizinhos

No Paraguai e Uruguai, além de outros modelos leves, a Hyundai comercializa o Xcient P520, com capacidade de arrasto de 70.000 kg.

O modelo foi lançando no mês de Novembro de 2018 e impressiona pela robusteza, característica fundamental para as estradas brasileiras.

Planos adiados

Inicialmente, o objetivo do Grupo CAOA era produzir a linha pesada da Hyundai em São Paulo, tanto para atender a demanda do mercado interno, como para os demais países da America Latina.

Agora, com os impactos econômicos causados pelo covid-19 (coronavírus) nas fabricantes de veículos, diversos projetos de expansão foram cancelados.

Até então, o Grupo CAOA não se pronunciou novamente sobre um possível lançamento da linha XCient no Brasil.

Como o custo de importação direta desses veículos é alto, para viabilizar a comercialização do mesmo no Brasil, é necessário a fabricação e montagem em solo brasileiro, com acontece como as demais fabricantes.

As negociações pela fábrica da Ford no ABC continuam, mas com outras empresas que pretendem fabricar automóveis no local.