Scooters elétricas precisam ser emplacadas e usuários devem ser habilitados

Scooters elétricas precisam ser emplacadas e usuários devem ser habilitados

No último ano, o número de Scooters elétricas disparou nas grandes e pequenas cidades do Brasil.

A medida que o equipamento se populariza, o número de acidentes graves também aumenta.

O CONTRAN determinou em Março de 2022, que ciclo-elétricos, com comprimento superior a 1,45m e potência acima de 350 watts, devem possuir placa para circular em zonas públicas e devem estar listadas no Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAM).

Desse modo, para conduzir uma scooter, é sim necessário carteira de habilitação categoria A.

No entanto, como ainda não há uma fiscalização intensiva, os principais usuários são jovens não habilitados, que buscam se locomover de uma maneira rápida e barata.

Mesmo possuindo motores elétricos de baixa potência, as scooters conseguem atingir até 40km/h, o suficiente para trafegar entre os demais veículos a combustão.

Como a maioria desses usuários não possuem habilitação, muitos dispensam o uso de capacete e infringem uma série de regras de transito, como ultrapassar pela direita e passar o sinal vermelho.

Nos finais de semana, se tornou comum ver adolescentes com menos de 15 anos conduzindo scooters pelas principais avenidas das cidades.

Em São Paulo, a Polícia Militar (PM) e o DETRAN, precisaram montar blitz específicas para esse tipo de equipamento. O resultado foi dezenas de scooters em situação irregular apreendidas.

CET de São Paulo faz blitz contra elétricos em Ciclovia - Pelote Ciclismo

Como emplacar Scooter?

Qualquer veículo elétrico que passe de 25 km/h e possua potência acima de 350 watts, precisa ser emplacado.

Primeiro, o usuário deve atentar para o número de chassi do equipamento. Como a maioria dessas motos é fabricada na China, o número gravado na chassi também é chinês e não é válido no Brasil.

Desse modo, a distribuidora do Brasil é responsável pela remarcação do chassi com um número de série nacional.

Com esse número em mãos, o comprador pode ir até o DETRAN e requisitar o emplacamento da Scooter.