“Votei no Lula achando que ia melhorar, mas agora estou com medo!” diz caminhoneiro

"Votei no Lula achando que ia melhorar, mas agora estou com medo!" diz caminhoneiro

Em entrevista ao Jornal do Caminhoneiro, um motorista profissional de Chapecó, Santa Catarina, relatou estar com medo do rumo que o Brasil pode tomar após a posse do candidato eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Sou funcionário há quase 30 anos e durante a pandemia, vi o preço dos alimentos subir e o salário não acompanhou. Votei no Lula (PT) acreditando que a situação nossa (empregado) ia melhorar, mas agora estou com medo!”, contou o caminhoneiro que não quis se identificar.

“A empresa em que eu trabalho já fala em cortar despesas para o próximo ano. Eles iam comprar mais 10 caminhões novos, mas o patrão avisou que não vai arriscar!”

Sobre o cumprimento das promessas de campanha, o caminhoneiro exemplificou a situação do Brasil.

“Na hora da emoção, a gente acredita no que os políticos falam. Eu vi que quando estamos com dificuldade financeira, a saída é economizar. Agora, o governo do PT já pediu R$ 200 bilhões para gastar a mais e cumprir as promessas de campanha (…) Quem vai pagar esses R$ 200 bilhões? Somos nós, que precisamos trabalhar de segunda a segunda!”

Sobre a segurança nas estradas, principal preocupação do caminhoneiro, ele afirma que a categoria ficará refém da criminalidade:

“Vocês viram nos presídios? A festa da vitória do Lula? Quando o criminoso comemora a vitória de um candidato, é sinal que alguma coisa está errada com esse político. Eu cometi o maior erro da minha vida e percebi isso no dia seguinte!”, finalizou o motorista.